– Estou preocupado(a), não sei como vou resolver isso…

– Tenho exame para a semana, sinto-me preocupado(a)!!!

– Tenho relatórios para fazer, não sei se terei tempo…

– Será que darei conta de fazer isso…

– Eu tenho que resolver estes problemas, estou a ficar nervoso(a)…

Estes são pequenos exemplos de situações que podem desencadear uma crise de ansiedade.

As pressões do dia-a-dia, com o trabalho, com os prazos, com a vida financeira, com os estudos, na vida pessoal, no contexto familiar, nos relacionamentos, entre outras.

Preocupações e mais preocupações. As preocupações excessivas e constantes podem acabar por deixar mazelas físicas e emocionais que não permitirão ao indivíduo levar uma vida saudável, afetando desta forma o seu bem-estar físico e mental.

Viva Sem Ansiedade

A Ansiedade poderá manifestar-se de várias formas:

– Através de ataques de pânico.

– Obsessões (compulsivas ou não).

Fobias sociais

– Transtornos alimentares (excesso ou falta de apetite).

– Perturbações do sono (dormir demais ou ter insónias).

– Cansaço em demasia.

– Entre outras.

No cerne desta questão está, fundamentalmente, uma grande dificuldade em gerir as incertezas da vida.

Neste sentido, e segundo o Prof. António Santos*, “a ansiedade pode ser designada como uma alteração do estado psíquico em que, a partir de determinado ponto, é considerada patológica. Esta alteração do estado psíquico desencadeia um conjunto de modificações ao nível dos órgãos internos (invisíveis) como por ex. o acelerar do batimento cardíaco que pode levar a dor no peito e costas e que levam a reações somáticas, isto é, reações que acontecem no e através do corpo (e por isso visíveis e percetíveis a qualquer pessoa) tais como o acelerar da respiração, inquietação, agitação!

Acredito que perante uma mesma situação que desencadeie tal estado os sintomas possam variar de indivíduo para indivíduo pese embora a existência de sintomas que são generalizados. No caso concreto a que me refiro o mais curioso foi perceber que a partir do momento que se atingiu um estado tal de ansiedade qualquer situação, dentro de um vasto domínio, que provocasse alguma agitação ou nervosismo acabaria por desencadear novamente e com muito mais facilidade novo estado de ansiedade! Não direi que a ansiedade não tenha cura mas diria que, se não for devidamente tratada e acompanhada, acabará por se perpetuar e durar toda a vida.“

E verdade, seja dita, este problema se não for tratado poderá realmente virar uma “bola de neve” e acabará por arrastar consigo tantos outros problemas, físicos ou psicológicos. E neste contexto, surge a Hipnose Clínica no tratamento da ansiedade.

A Hipnose Clínica não tratará apenas os sintomas, irá antes na origem do problema.

Através da hipnose trabalha-se a nível emocional para baixar os níveis de ansiedade do paciente através de relaxamento e um trabalho mais profundo.

Não viva mais ansioso(a), liberte-se da Ansiedade e ganhe qualidade de vida!!!

*Professor de Educação Física e Desportiva

 

Comentar