Ela chegou sem esperança, exausta e zangada com a vida.
Tudo era em esforço e sempre tinha alguma coisa que corria mal. Trazia muita mágoa que carregava como bandeira , sem perceber que com ela tinha construído um enorme muro entre ela e a felicidade. Tudo estava a ser vivido sob a deturpação da dor. Dor que lhe trouxe cansaço, que lhe trouxe desanimo, que lhe trouxe dormência e desligou da vida.

Desse claustro sombrio ela já olhava a vida com desdém de quem lhesugeria um futuro melhor.
Comecei por religa-la à sua parte criança. Lembrar de como era quando ainda sentia o cheiro da chuva , o vento na pele, o cheiro de um bolo acabadinho de fazer. E nela acendeu uma chama. A chama da esperança se voltou a acender no seu coração. Expliquei dos padrões , da comunicação, das relações , da auto-imagem. Exploramos juntas cada uma das áreas de vida dela e percebeu que afinal nem sequer lembrava das tantas coisas maravilhosas que lhe aconteceram. Fomos falar com as suas várias partes e limpar o que precisava de ser limpo.

Visitamos os muitos passados e entendemos, ressignificamos, curamos , perdoamos tudo que haviam para perdoar. Começou a sentir-se mais forte. a perceber que tem nas suas mãos o poder de mudar. Não porque lhe disseram isso, mas porque na prática pôde ela própria realizar na prática essas mudanças, sessão após sessão, nas não mais de meia dúzia que fizemos. Mas depois ela queria mais. Queria-se inteira e começamos uma fase nove. Uma fase onde o entendimento profundo de si se fazia imperativo para esta viragem. Começou a frequentar a nossa academia em parale-lo com as sessões individuais. Foi um salto de gigante. Na prática a vida de escancarou diante dela.
Hoje temos uma pessoa determinada, confiante e cheia de projectos para o futuro.

Bem vinda de volta minha querida

Deixa fluir
4.4 (88%) 5 votos

1 Comentário
  • Carla
    Colocado

    Pensamento positivo sempre.

Comentar